Síndrome da dor femoropatelar

Atualizado: Fev 10

A síndrome da dor femoropatelar refere-se à dor na região frontal do joelho e no entorno da patela, também chamada de rótula, quando há algum desequilíbrio biomecânico nesta região. Pode atingir qualquer pessoa, mas é especialmente comum em esportistas jovens.


Esse desequilíbrio normalmente ocorre quando a coxa perde o seu alinhamento durante a movimentação, o que sobrecarrega o joelho de maneira inadequada.


Para entender melhor, é importante saber que a patela tem um “caminho correto” a percorrer na execução de movimentos. Para que isso ocorra perfeitamente, é preciso que os músculos das regiões lateral e posterior do quadril trabalhem de modo que mantenha a coxa alinhada. Quando eles não desempenham corretamente suas funções, a coxa ganha uma inclinação, a patela é deslocada de seu lugar de origem de maneira lateral em relação ao fêmur e pode rotacionar de maneira indevida. Esse atrito entre o fêmur e a patela pode ser excessivo e causar dor e danos à cartilagem.




Causas e fatores de risco


Os motivos que levam à síndrome da dor femoropatelar ainda não são tão específicos, mas é comum que ela ocorra devido a movimentos que geram desequilíbrio na patela, além de sobrecarga e desgaste na região. Ao flexionar o joelho em uma atividade física, por exemplo, a região entre o fêmur e a patela é pressionada. Ao fazer isso muitas vezes, pode haver desgaste. No entanto, pessoas sedentárias também podem ser afetadas.


Movimentos impróprios do quadril, quando se tornam um padrão, também podem gerar a lateralização da patela. Características específicas da anatomia da patela, do joelho, dos ligamentos e dos músculos do paciente também são considerados ao avaliar as origens da dor.


Principais sintomas

A dor na região anterior do joelho (entre a patela e o fêmur) é o principal sintoma da síndrome. O incômodo pode aparecer durante movimentos como correr, subir e descer escadas, agachar e passar muito tempo sentado, por exemplo.

A síndrome da dor femoropatelar pode causar também rigidez articular e sensação de ter areia dentro na articulação.

Como diagnosticar


Um exame clínico é fundamental para chegar ao diagnóstico assertivo da síndrome da dor femoropatelar, principalmente porque há outras lesões no joelho que podem ter sintomas parecidos. A avaliação médica e os possíveis exames solicitados ajudam também a identificar se houve comprometimento das articulações e de outros elementos da região.


Tratamentos


O tratamento geralmente é conservador, feito em sessões de fisioterapia. Isso pode fortalecer a musculatura e minimizar falhas biomecânicas que levam à síndrome. Como a movimentação indevida do quadril também é considerada um dos motivos que da dor, pode ser necessário fortalecer essa região, também. Exercícios que promovam a redução dos sintomas poderão ser executados pelo fisioterapeuta, de acordo com cada paciente, suas características e respostas ao tratamento.


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo