Fratura por estresse

Atualizado: Fev 10

A fratura por estresse é uma lesão que ocorre no osso, quando ele é submetido a cargas acima de sua capacidade de suporte, que o fragilizam e o fazem trincar ou quebrar. O dano pode ocorrer em qualquer tipo de osso, mas aqueles responsáveis por suportar o peso

corporal, como os ossos dos membros inferiores, estão mais suscetíveis às fraturas.


As fraturas por estresse localizadas nas áreas de compressão do osso têm um bom prognóstico de consolidação. São exemplos dessas regiões alguns metatarsos, os membros superiores, as costelas e a fíbula. Já as lesões que ocorrem nas áreas de tensão do osso, como o maléolo medial, a patela, o tálus e um dos metatarsos (o quinto) demandam uma recuperação um pouco mais complexa. Ossos como o fêmur e a tíbia possuem regiões de compressão e de tensão, portanto, o prognóstico de fraturas nesses ossos varia conforme a área afetada.



Causas e fatores de risco


Fraqueza e desequilíbrio muscular normalmente são fatores responsáveis pela fratura por estresse. Isso ocorre porque, sem estar em seu pleno funcionamento, o músculo deixa de absorver o impacto dos movimentos corporais e os ossos ficam sobrecarregados. Esse estresse gerado no osso pode causar pequenas fissuras e, com o tempo, levar a fraturas. Por isso, o sobrepeso corporal também é um fator de risco desse tipo de lesão, pois causa ainda mais impacto nas estruturas ósseas.


Características genéticas, questões hormonais, idade, densidade óssea, doenças do colágeno e equilíbrio metabólico e nutricional são alguns elementos considerados ao avaliar o risco de fraturas por estresse. Fatores externos também contam, como o condicionamento físico, a intensidade do treinamento, o uso adequado de equipamentos e calçados para praticar esportes e as características do local de treinamento, por exemplo.


Principais sintomas


Os sintomas da fratura por estresse incluem dor que piora com o toque e durante atividades físicas, e melhoram com repouso, além de inchaço sem que o paciente tenha sofrido traumas. Quando a lesão acomete membros inferiores, é possível que o paciente sinta necessidade de mancar ao andar e que tenha perda de rendimento em treinos e práticas esportivas.


Diagnóstico


Ao sentir dor no osso ao realizar suas atividades, o paciente deve buscar auxílio médico. O exame físico pode identificar os pontos de sensibilidade, mas os exames de imagem, como a radiografia simples, podem ser mais específicos. Como o quadro de fratura por lesão pode começar com microfissuras no osso, algumas alterações podem não ser identificadas logo nos primeiros sinais de dor. Por isso, o diagnóstico leva em consideração múltiplos fatores.


Tratamentos


O tratamento para fratura por estresse normalmente é conservador, com repouso e uso de medicamentos para dor prescritos pelo médico. Pode ser necessário imobilizar a área lesionada ou o uso de muletas.


Em fraturas com baixo risco e bom prognóstico de recuperação, alguns exercícios de Fisioterapia podem colaborar para evitar a sobrecarga nos ossos, como alongamento e fortalecimento muscular.


Em fraturas de risco elevado e em áreas de difícil consolidação, o tratamento pode demandar repouso absoluto e, se não houver boa recuperação, uma cirurgia pode ser indicada.


3 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo