Lesões ligamentares

O joelho é uma articulação muito exigida durante as movimentações do corpo e, por isso, está propenso a sofrer contusões. Entre os danos mais comuns estão as lesões ligamentares, que afetam principalmente esportistas e podem levar ao afastamento das atividades físicas.


Os ligamentos do joelho o ajudam a se manter estável, com o auxílio dos meniscos, que colaboram para o amortecimento de impactos. Esses ligamentos impedem que os ossos ligados a eles rotacionem mais do que deveriam ou de maneira atípica, como em uma torção. Quando alguma anormalidade de movimentos ocorre, pode haver dano ou ruptura de algum desses ligamentos, o que caracteriza a lesão ligamentar.


As lesões são definidas segundo o grau de gravidade - de um leve estiramento à ruptura total do ligamento - e também de acordo com o ligamento que elas atingem. Eles podem ser: os cruzados anterior (LCA) e posterior (LCP), e os colaterais lateral (LCL) e medial (LCM). Os ligamentos cruzados fazem o controle de movimentos para frente e para trás, enquanto o lateral e medial influem nos movimentos laterais.


Lesão no LCA: o ligamento cruzado anterior conecta o osso da coxa (fêmur) ao osso da perna (tíbia). Ele ajuda a manter a estabilidade de rotação do joelho e impede que a tíbia se desloque para a frente do fêmur. Uma lesão no LCA é normalmente causada por alguma torção devido a mudança brusca de direção. É comum durante a prática esportiva, como futebol, esqui, tênis e basquete, por exemplo. O primeiro sintoma pode ser a sensação de que o joelho se deslocou. Dor, inchaço, e sensibilidade na região, além de desconforto para realizar movimentos podem surgir dentro de algumas horas após o dano.


Lesão no LCP: o ligamento cruzado posterior fica na parte traseira do joelho. Ele ajuda a manter a estabilidade da região e controla o movimento da tíbia quando ela se movimenta para trás em relação ao fêmur, conectando esses dois ossos pela parte posterior deles. Ele pode ser lesionado junto com o LCA, mas, quando o dano ocorre de maneira isolada no LCP, normalmente a causa é um trauma, queda, entorse durante atividades esportivas ou impacto na área anterior da tíbia. A lesão no LCP causa menos inchaço do que no LCA, mas há dor e edema, que melhoram em até quatro semanas, normalmente. A instabilidade no joelho é outro sintoma da lesão, que precisa ser tratada para que volte ao normal e não cause outros problemas.


Lesão no LCI: o ligamento colateral lateral trabalha na estabilização do lado externo do joelho. Lesões neste ligamento são menos frequentes, se comparadas às lesões que ocorrem no ligamento colateral medial. Porém, podem ser mais graves e envolver outros tipos de danos. Contusões nesta área podem acontecer quando o joelho é forçado em movimento de dentro para fora, e pode levar a distensões e rupturas. Os sintomas variam conforme a gravidade do dano e podem envolver dor, instabilidade e inchaço.


Lesão no LCM: o ligamento colateral medial evita que a tíbia rotacione em sentido externo em relação ao fêmur. Lesões neste ligamento são comuns e podem ocorrer quando a força no joelho ocorre de fora para dentro, seja em pancadas, traumas ou movimentos repetitivos. Os sintomas incluem dor, instabilidade, inchaço e hemartrose - derrame de sangue dentro da articulação.


Diagnóstico e tratamentos


O diagnóstico de lesões ligamentares é feito com exame clínico, e comprovado por exames de imagem, como a ressonância magnética.


O tratamento varia conforme o ligamento lesionado e o grau da lesão. Pode incluir repouso, compressas, uso de medicamentos e até mesmo cirurgia.

Sessões de fisioterapia podem ser recomendadas para que o paciente fortaleza a musculatura do joelho, retome a estabilidade da região e reduza as dores e os edemas.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo