Hérnia de disco

Atualizado: Fev 3

Queixa comum de pacientes, a dor nas costas muitas vezes é mais do que um desconforto temporário. Ela pode ser hérnia de disco, espécie de desgaste na estrutura da coluna vertebral, que pode causar dores insuportáveis na região. Apesar de ser um dano bastante conhecido, nem todo mundo sabe como ele ocorre e, principalmente, como evitar que ele aconteça.


Para entender como a hérnia surge, é preciso lembrar que a coluna vertebral é formada por vértebras cervicais, torácicas e lombares. Entre elas, há os chamados discos intervertebrais, que funcionam como amortecedores para evitar o contato direto entre as vértebras e suavizar os movimentos da coluna. Eles são compostos por tecido cartilaginoso e elástico. São macios por dentro, como um gel, e mais rígidos por fora.


Com o tempo, esses discos se desgastam e se deslocam em muitos casos. Ao saírem de suas posições normais, eles passam a comprimir as raízes nervosas relacionadas à medula espinhal. Isso pode provocar dores, formigamentos e até perda de sensibilidade. Quando a lesão no disco é grande, a parte gelatinosa de seu núcleo pode sair, o que provoca redução no disco, que fica achatado. Daí o nome “hérnia de disco”.


Causas e fatores de risco


O envelhecimento e o movimento repetitivo são algumas das principais causas da hérnia discal, mas são diversos os fatores que podem acarretar a lesão. Predisposição genética, excesso de peso, má postura, traumas por pancadas e realização de grande esforço físico - como levantar ou carregar objetos pesados -, são alguns deles. Por estar relacionada a movimentos e suporte de peso, o dano é mais frequente nas regiões cervical e lombar.


Principais sintomas


A hérnia discal pode ser assintomática ou causar dores leves, moderadas ou intensas, normalmente na região em que o disco está lesionado. Outros sintomas são:


  • Dor frequente nas costas, que pode irradiar para as pernas ou para os braços (ou para ambos)

  • Redução da força de algum membro

  • Formigamento ou dormência nos membros

  • Dor de cabeça que parece estar associada à dor na nuca e nos ombros

  • Alteração no funcionamento da bexiga ou do intestino



Como diagnosticar


O diagnóstico da hérnia discal é feito após exame clínico, para que o médico conheça os hábitos do paciente e ouça sobre os sintomas, e também neurológico, para identificar a sensibilidade e os reflexos da pessoa. Exames de imagem, como a ressonância magnética, ajudam a comprovar a existência e a morfologia da lesão. Em casos de raízes nervosas afetadas, uma eletromiografia pode ser solicitada para checar o grau de acometimento. Outros exames podem ser solicitados se o médico achar necessário.


Como prevenir


A melhor maneira de prevenir hérnia de disco é a prática adequada de atividades físicas, manter um peso adequado para a saúde e posturas corretas. Também é recomendado fazer pausas para caminhar sempre que precisar exercer atividades sentado por longas horas.



Próximo artigo: saiba como é o tratamento convencional de hérnia de disco


1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo