Dor ciática

Atualizado: Fev 3

Mais longo nervo do corpo humano, o ciático começa no final da coluna e estende-se pelas regiões do quadril, glúteos, parte posterior de cada coxa e joelho, e chega aos membros inferiores. Também chamado de isquiático, ele é formado pela junção das raízes nervosas que nascem na medula espinhal e compõem o plexo lombar. Quando ocorre compressão, inflamação ou irritação em uma ou mais dessas raízes, surge a chamada dor ciática.


O dano ao nervo pode ocorrer em qualquer ponto de sua extensão, desde o canal espinhal e os espaços entre as vértebras por onde passa a medula até as áreas dos tendões, músculos e membranas que o nervo atravessa.


Causas e fatores de risco


A dor ciática não é uma doença, mas pode ser um indício de alguma disfunção, principalmente hérnia de disco. Mas as compressões nas raízes nervosas podem ocorrer também devido espasmo muscular, traumas, síndrome do músculo piriforme, tumores, entre outras causas.


Situações que aumentam a instabilidade da coluna, como movimentação brusca, gravidez, obesidade e sedentarismo, indiretamente podem levar à dor ciática.


A frequência e a possibilidade de surgir a dor ciática aumenta conforme o envelhecimento do paciente. Isso acontece porque, com o passar dos anos, pode ocorrer a degeneração da estrutura da coluna vertebral e, consequentemente, a medula espinhal e as raízes dão origem ao nervo ciático ficam mais vulneráveis.


Principais sintomas


A dor ciática pode acometer todo o trajeto pelo qual o nervo passa, dos glúteos aos pés. Sintomas como sensação de choque ou queimação e pontadas podem ser sentidos nessas áreas, mas eles podem ser bem variados e ter piora à noite.


É comum que a dor ocorra de apenas um lado do corpo, e pode envolver também outros sintomas, como:


  • Dor que piora ao ficar muito tempo na mesma posição

  • Formigamentos, dormência e “fisgadas” em alguma das regiões pelas quais o nervo passa

  • Dor que surge na coluna lombar e irradia para a parte posterior da perna

  • Redução da força muscular em uma ou em ambas as pernas



Como diagnosticar


Para chegar ao diagnóstico de dor ciática, é necessário passar por um exame clínico que avalie o histórico, os sintomas e o relato do paciente. Exames físico e neurológico ajudam a identificar se há comprometimento da sensibilidade e motricidade do paciente. Exames de imagem, como raio-X, tomografia computadorizada e ressonância magnética fornecem dados complementares e precisos ao diagnóstico.


Tratamentos


O primeiro passo para reduzir a dor ciática é identificar e reparar o que está causando a compressão do nervo. O tratamento varia conforme os sintomas apresentados e costuma ser conservador, com o uso de medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios em períodos de crise, e a indicação de reeducação postural, fisioterapia e atividades físicas leves.

Sessões de fisioterapia ajudam a reduzir a dor, e o uso de alguns aparelhos específicos colabora para tratar a inflamação e compressão do nervo. Atividades que promovam o alongamento da coluna, a flexibilidade, a força muscular e não causem impacto na coluna vertebral podem ser sugeridas.


0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo